Como Reconhecer Um Infarto

Segundo a campanha “Coração Alerta” de 2016, coordenada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, o infarto é responsável por 29,4% das mortes no Brasil, contabilizando uma média de 80.000 mortes. Esses dados nos levaram ao questionamento de por que a incidência é tão alta, e a resposta foi a falta de informação e conhecimento sobre os sintomas de um infarto.

Muitas vezes nos limitamos a saber que as dores no peito podem ser indicadores de um possível infarto, e assim ignoramos os outros diversos sintomas. Se o infarto ocorre quando uma artéria que está localizada perto do coração é obstruída por placas de gordura, e consequentemente não recebe oxigênio, algo mais do que apertos no peito deve causar.

Separamos os principais sintomas para aprender a reconhecer um infarto em homens e mulheres. Se você ficou curioso, continua a leitura desse artigo!

 

  • Em mulheres

As mulheres se tornam mais propensas ao infarto após a menopausa, isso porque durante o período reprodutivo os hormônios característicos femininos possuem um efeito cardioprotetor. Logo, a incidência de infarto em mulheres é a partir dos 40 anos, quando já é possível sofrer uma menopausa prematura.

As dores nas costas, seja com a sensação de queimação ou de aperto sufocante, que mesmo com cuidados ou até mesmo massagens não resolve e nem diminui a intensidade, pode ser um sintoma para reconhecer um infarto. Se mudar de posição na cadeira, sofá ou cama e mesmo assim persistir, tome cuidado.

Outra maneira de reconhecer um infarto pode ser suores frios ou sensações de náuseas, que se parecem a uma indisposição temporária, acompanhado de palidez, também é um sintoma para reconhecer um infarto. Outra maneira muito recorrente é a dor no estômago que pode ser confundida com um problema digestivo e até mesmo azia.

Sensações de irritabilidade ou incomodidade na área do queixo ou da garganta também podem ser fatores que indicam um possível infarto. Aquela sensação de que a comida não desceu e não consegue passar nada pela garganta, queimação ou formigamento na área da mandíbula também.

 

  • Em homens

Tontura, vômitos e desmaios, mesmo que não ocorram em simultâneo, podem ser indicadores fortes de um possível infarto. As dores no peito, nas costas, no pescoço e na mandíbula, mesmo se com massagens ou cuidados extras ainda persistirem, é bom pensar em ir a um hospital ou tomar o remédio indicado pelo seu médico em caso de infarto.

Um dos fatores que mais agravam as possibilidades de não sobreviver a um infarto é o tempo entre a ocorrência e o atendimento médico, quanto mais cedo for tomado as providencias pelo profissional, mais chances há de sobreviver sem sequelas.

Pressão no peito com sensação de queimação intensa, por um longo período, também é um indicador para reconhecer um infarto. Fraqueza e palidez também são consideradas fatores de riscos, principalmente por um período prolongado.

infarto2

  • Fatores de risco

Mesmo com as estimativas de idade para estarem mais atentos a possíveis sinais de um infarto, é preciso ressaltar que os jovens não estão imunes, ninguém está. Pessoas com diabetes, hipertensão, com um histórico de doenças cardíacas na família e as adeptas ao tabagismo devem ficar mais atentas também.

Outro risco potencial é o estresse, que pode afetar principalmente aqueles que vivem em cidades grandes, com dias corridos e pouco tempo para cumprir com todas as tarefas de saúde. Isso afeta principalmente a frequência de se dedicar a esportes (que diminuem as probabilidades de um infarto) e também sobra pouco tempo para realizar visitas de rotina ao médico.

 

Esses foram alguns sinais de como reconhecer um infarto no seu corpo, o que é muito importante para o autoconhecimento e autoproteção. Quanto mais informação prévias temos, maiores são as oportunidades de nos cuidarmos e procurar auxilio médico. Fique atento!

Deixe uma resposta