AIDS – Cid 10: B20

A AIDS e uma doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função do seu caráter pandêmico e de sua gravidade. Os infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) evoluem para uma grave disfunção do sistema imunológico, à medida que vão sendo destruídos os linfócitos T CD4+, uma das principais celulasalvo do vírus. A contagem de linfócitos T CD4+ e um importante marcador dessa imunodeficiência, sendo utilizada tanto para estimar o prognostico e avaliar a indicação de inicio de terapia antirretroviral, quanto para definição de casos de AIDS, com fins epidemiológicos.

O HIV pode ser transmitido por via sexual (esperma e secreção vaginal); pelo sangue (via parenteral e vertical); e pelo leite materno.

A doença pode ou não ter expressão clinica logo apos a infecção, sendo importante que o profissional saiba conduzir a investigação laboratorial após a suspeita de risco de infecção pelo HIV. E importante o entendimento da dinâmica da variação viral ou seus marcadores e o curso temporal em indivíduos depois da exposição ao HIV. Alem disso, e imprescindível reconhecer a diferença entre a janela imunológica e a soroconversao. Enquanto a janela imunológica e o período de tempo entre a exposição ao vírus ate que a detecção por marcadores virais ou antivirais se tornem detectáveis, a soroconversao e o período que denota no processo de desenvolvimento de anticorpos contra um patogeno especifico. Considera-se adequado considerar o período médio de janela imunológica de 30 dias. Período esse em que a maioria dos indivíduos apresentara resultados positivos nos conjuntos de testes diagnósticos para a detecção da infecção pelo HIV. Caso não ocorra a soroconversao no intervalo de 30 dias, o individuo deve ser considerado como não infectado a menos que os antecedentes epidemiológicos e/ou os sinais clínicos sugiram a presença da infecção pelo HIV.


Os sintomas da AIDS são inúmeros. Ressaltamos em geral os seguintes sintomas: – Infecção pelo Pneumocystis carinii, que pode levar a uma pneumonia (sintoma: tosse seca,…). – perda de peso – diarréia – fraqueza (fadiga) – manchas sobre a pele (sarcoma de Kaposi) – micose das unhas – estomatomicose (sapinho) – micoses em geral – tuberculose – meningite – lesões infecciosas na região dos olhos: herpes, citomegalovírus… Notamos que inúmeras doenças infecciosas irão se desenvolver nas pessoas aidéticas, devido ao enfraquecimento do sistema imunológico.

A abordagem clinico-terapeutica do HIV tem-se tornado cada vez mais complexa, em virtude da velocidade do conhecimento acerca deste agente. Os objetivos do tratamento são: prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida, pela redução da carga viral e reconstituição do sistema imunológico. O atendimento e garantido pelo SUS, por meio de uma ampla rede de serviços. O Brasil e um dos poucos países que disponibiliza, integralmente, a assistência ao paciente com AIDS. Crianças infectadas pelo HIV – Atualmente, indica-se tratamento antirretroviral potente, com a associação de três ou mais drogas, por tempo indeterminado, e monitoramento periódico da eficácia clinico – laboratorial e sinais de toxicidade aos medicamentos. Para gestantes – Vale ressaltar que alguns medicamentos estão contra-indiciados em virtude do potencial teratogênico, como o Efavirenz e Hidroxiureia, contudo, os casos devem ser individualmente analisados.


Prevenção da transmissão sexual – Baseia-se na informação e educação visando a pratica do sexo seguro, pelo uso consistente de preservativos masculino e feminino nas relações sexuais, como principal estratégia de prevenção. Prevenção da transmissão sanguínea Transfusão de sangue – Triagem de doadores, afastando aqueles em risco de infecção pelo HIV e realização de teste obrigatório para detecção de anticorpos anti-HIV. A conscientização dos doadores, no sentido de auto-avaliar os riscos de infecção pelo HIV a que possam ter sido submetidos, evitando ser identificada a doação, constitui-se na melhor medida de prevenção da transmissão do HIV por essa via. – Recomendações especificas devem ser seguidas, durante a realização de procedimentos que envolvam a manipulação de material perfuro-cortante, observando-se a máxima atenção durante a realização dos procedimentos, nunca utilizar os dedos como anteparo, durante a realização de procedimentos, nunca reencapar, entortarem ou quebrar agulhas com as mãos, desprezar o material perfuro-cortante (agulhas, scalp, (laminas de bisturi, vidrarias, entre outros) em recipientes com tampa e resistentes a perfuração e preferencialmente incinerar o lixo hospitalar Não dispondo deste serviço, proceder conforme orientação da vigilância sanitária desse município. Deve ser incentivado o uso e articulação de ações educacionais junto às comissões de controle de infecção hospitalar nos serviços. Quando não descartáveis, devem ser, meticulosamente, limpos para, depois, serem desinfetados e esterilizados. Os materiais descartáveis, apos sua utilização, devem ser acondicionados em caixas apropriadas, com paredes duras, para evitar acidentes. O HIV e muito sensível aos métodos padronizados de esterilização e desinfecção (de alta eficácia), sendo inativado por meio de produtos químicos específicos e do calor, mas não inativado por irradiação ou raios-gama. Prevenção da transmissão materno-infantil do HIV – As gestantes portadoras do HIV deverão iniciar a profilaxia da transmissão vertical a partir da 14a semana, com terapia ARV tripla. Aquelas que tiverem indicação de tratamento para a AIDS deverá realizá-lo normalmente, mas com a ressalva de que ARV com potencial teratogênico deverão ser substituídos. A Zidovudina IV devera ser administrada a todas as parturientes no momento do parto e a Zidovudina Solução Oral para todos os recém nascidos expostos ao HIV, durante seis semanas. Doação de sêmen e órgãos – A transmissão do HIV pela doação de órgãos ou sêmen deve ser prevenida pela triagem cuidadosa e testagem dos doadores. No caso do sêmen, ha a possibilidade de armazenamento do sêmen por um determinado período, para utilização posterior quando uma nova testagem do doador for negativa. Evita-se assim utilização do sêmen de doadores em janela imunológica.

Deixe sua resposta!