Balanopostite – Cid 10: n48.1

Trata-se da inflamação simultânea da glande (balanite) e da face interna do prepúcio (postite). Na maioria dos casos, os portadores de fimose estão mais predispostos à balanopostite. Os principais causadores do problema são: falta de cuidados de higiene, hemorragia, cancro sifilítico, herpes genital, diabetes, tumores e aumento de secreção das glândulas sebáceas da mucosa do prepúcio. A inflamação torna-se mais intensa quando há colonização de diversas bactérias, como gonococos, estreptococos, estafilococos, bacilo coli, proteus, bacilo de Ducrey, bacilo de Löeffler e certas espécies de fungos.

Não é contagioso.

A simples inspeção local basta para diagnosticar o problema

Veja também

A simples inspeção local basta para diagnosticar o problema. Os sintomas são a coceira e o ardor localizados, que nos casos mais avançados transformam-se em dor intensa ? exacerbada com a palpação ou durante o ato de urinar. Nas fases agudas da doença, o prepúcio fica avermelhado e inchado. Seu orifício expulsa uma secreção de muco e pus. Quando há a possibilidade de retração do prepúcio, observa-se que a glande adquiriu um vermelho intenso e que se formaram pequenas erosões em sua superfície, as quais sangram com facilidade. Às vezes, ocorre o inchaço dos gânglios situados na região das virilhas. A reincidência da balanopostite provoca fimose adquirida ou pode agravar a fimose congênita.

Consiste na aplicação de compressas com solução de anti-sépticos. Se após alguns dias o processo inflamatório persistir, com o prepúcio impedindo a exteriorização da glande, é recomendável fazer a incisão dorsal do prepúcio, para possibilitar a observação da lesão, e, posteriormente, proceder à circuncisão.

Na maioria dos casos, a balanopostite está relacionada a uma higiene inadequada do pênis.

Deixe uma resposta