Conheça a importância do Pré-Natal

Por que o pré-natal é importante?

O pré-natal consiste no acompanhamento clínico profissional que vai desde a descoberta da gravidez até o momento do parto.

Este acompanhamento é fundamental para uma maior segurança durante a gestação e parto, tanto para mãe quanto para o bebê. Durante o pré-natal, pode-se acompanhar o desenvolvimento do feto e encontrar o quanto antes qualquer alteração ou risco, o que favorece uma intervenção médica precoce.

Além disso, é durante o pré-natal que algumas doenças maternas, que trazem risco ao feto, podem ser controladas e acompanhadas de maneira adequada. O pré-natal é uma ótima maneira de aproximar a mãe do médico e da medicina, com a possibilidade de esclarecimento de dúvidas, orientações e criação de um vínculo entre o médico e o paciente.

Veja também

O principal indicador do prognóstico ao nascer é um pré-natal adequado e de qualidade.  O quanto antes seja iniciado o pré-natal, maiores a chances de um parto seguro e um bebê mais saudável.

As consultas de pré-natal:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta a realização de no mínimo seis consultas, sem existência de alta do pré-natal. As consulta devem ser mensais até a 28a semana, a cada quinze dias entre a 28a e 36 a , e semanais no termo. Quando o parto não ocorre até a 41a a gestante deve ser avaliada novamente para o bem estar fetal.

A participação da família é muito importante.
É sempre bom que alguém, principalmente o  pai da criança, acompanhe a mulher nas consultas. A família deve ser envolvida com os assuntos da gravidez. Deve apoiar a mãe e cuidar
do recém-nascido, ajudando a mãe para que possa descansar e amamentar o bebê exclusivamente com leite materno até os 6 meses.

O período do pré-natal é fundamental para conhecer as seguintes questões:

  • Como funciona a unidade de saúde e a importância das consultas, dos exames (inclusive das mamas e de prevenção do HIV e sífilis) e das vacinas;
  • Mudanças corporais e emocionais que acontecem durante a gravidez, o parto e o pós-parto;
  • Mudanças dos hábitos de vida como dieta, higiene, trabalho e comportamento sexual;
  • Tipos de parto;
  • Cuidados gerais com o recém-nascido, valorizando o aleitamento materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida;
  • Importância das consultas após o parto;
  • Saber com antecedência o local onde vai ter o bebê;
  • Todos os direitos da gestante, da puérpera e do recém-nascido;
  • Orientações quanto ao registro.

Deixe uma resposta