Diabetes Mellitus Tipo 1 ou Insulino-dependente – CID 10: E10

O diabetes é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia (elevado nível de glicose no sangue) e associadas a complicações, disfunções e insuficiência de vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sanguíneos. Pode resultar de defeitos de secreção e/ou ação da insulina envolvendo processos patogênicos específicos, por exemplo, destruição das células beta do pâncreas (produtoras de insulina), resistência à ação da insulina, distúrbios da secreção da insulina, entre outros. O tipo 1 é causado pela destruição autoimune das células Beta (responsáveis por sintetizar e secretar o hormônio insulina), que acarreta uma deficiência absoluta de insulina, sendo assim necessária a administração deste hormônio. O desenvolvimento do diabetes tipo 1 pode ocorrer de forma rapidamente progressiva, principalmente em crianças e adolescentes (pico de incidência entre 10 e 14 anos), ou de forma lentamente progressiva, geralmente em adultos.

Não transmissível.

O diagnóstico de Diabetes Mellitus é feito a partir da sintomatologia (veja o campo SINTOMAS) e confirmado por testes laboratoriais. Os testes laboratoriais mais comumente utilizados quando há suspeita de diabetes são: 1. Glicemia de jejum: nível de glicose sanguínea após um jejum de 8 a 12 horas; 2. Teste oral de tolerância à glicose (TTG-75g): O paciente recebe uma carga de 75 g de glicose, em jejum, e a glicemia é medida antes e 120 minutos após a ingestão; 3. Glicemia casual: tomada sem padronização do tempo desde a última refeição.

Veja também

Os sintomas clássicos de diabetes são: poliúria, polidipsia, polifagia e perda involuntária de peso (os “4 Ps”). Outros sintomas que levantam a suspeita clínica são: fadiga, fraqueza, letargia, prurido cutâneo e vulvar, balanopostite (inflamação da glande e do prepúcio) e infecções de repetição. O diabetes é assintomático em proporção significativa dos casos.

O tratamento do Diabetes Mellitus tipo 1 inclui as seguintes estratégias: educação, modificações dos hábitos de vida, principalmente os alimentares, e administração de insulina . A insulina é sempre necessária no tratamento do Diabetes Mellitus tipo 1, devendo ser instituída assim que for feito o diagnóstico.

Por ser uma doença ato-imune, o Diabetes Mellitus Insulino-Dependente não tem estratégias de prevenção.

Deixe uma resposta