ELOXATIN Frasco-Ampola

Não tome remédio antes de ir a um médico

A oxaliplatina é um antineoplásico do grupo dos sais de platina, com nova configuração molecular (diaminociclo-hexano) que lhe confere vantagens de eficácia e tolerabilidade em relação a outros compostos de platina. Uso Adulto.

Agente alquilante constituído por um átomo de platina unido a uma molécula de diamino-ciclohexano e a um radical oxalato (derivado DACH). Por via IV, 95% da dose injetada une-se a proteínas desde o 5 dia em diante. Tem uma fase de distribuição rápida seguida por outra de eliminação lenta, com uma meia-vida de 24 horas, mesmo quando se podem detectar níveis residuais até 3 semanas depois da infusão. Entre 40% a 50% da dose administrada é eliminada pela urina no espaço de 48 horas.

Indicações: Tratamento do câncer colorretal metastático em associação às fluoropirimidinas. Oxaliplatina pode também ser administrada a pacientes que não toleram fluoropirimidinas. Outras neoplasias sensíveis a derivados de platina.

Veja também

Contraindicações: O uso da oxaliplatina é contraindicado nos pacientes com insuficiência renal severa; período de amamentação; história hipersensibilidade à oxaliplatina.

Precauções: Não diluir em soluções salinas nem misturar com soluções alcalinas, como fluouracila, na mesma solução de infusão. Não utilizar material com alumínio o qual pode degradar a oxaliplatina.

Efeitos colaterais: Toxicidade hemática leve a moderada sobre neutrófilos e plaquetas. Toxicidade gastrintestinal, náuseas, vômitos moderados a intensos se não for feita profilaxia antiemética. Toxicidade neurológica, neuropatia sensorial periférica com disestesia distal nos membros e trato faringolaríngeo induzida ou exacerbada pelo frio, que em geral desaparece entre os ciclos de tratamento.

Atenção: O uso de qualquer medicamento só deve ser feito por recomendação e orientação de um médico, essas informações são de caráter meramente educativos e não substituem em hipótese alguma a avaliação de um especialista médico.

Deixe uma resposta