LITIOCAR Comprimido

Não tome remédio antes de ir a um médico

Tratamento da doença maníaco-depressiva. Uso Oral.

Não foi estabelecido seu mecanismo exato de ação. Postulam-se duas teorias. A primeira relaciona o efeito estabilizador do ânimo com uma redução na concentração do neurotransmissor catecolamina, mediada possivelmente pelo efeito do íon lítio na enzima adenosina trifosfatase Na+/K+-dependente, para produzir um aumento no transporte transmembrana neuronal do íon sódio. A segunda é que o lítio pode diminuir as concentrações de monofosfato de adenosina cíclico (AMPcíclico), o que por sua vez pode originar diminuição da sensibilidade dos receptores da adenilatociclase sensíveis aos hormônios. É absorvido por via oral de forma rápida e completa. O início de sua ação terapêutica pode demorar de 1 a 3 semanas.

Indicações: No tratamento da fase maníaca da psicose maníaco-depressiva (doença bipolar). Profilaxia da mania recorrente. Prevenção da fase depressiva. Tratamento de hiperatividade psicomotora.

Veja também

Contraindicações: Pacientes com má função renal e em indivíduos recebendo diuréticos ou com dieta baixa em sal, porque a depleção do cloreto de sódio aumenta a toxicidade do lítio. Não deve ser usado durante a gravidez e período de aleitamento. Criança menor de 12 anos; história de leucemia.

Precauções: O produto exige controle de litemia, ou seja, o nível plasmático do lítio, pois é através dele que chegamos ao nível terapêutico. Esse nível varia individualmente, mas em geral está entre 0,8 e 1,4mEq/l para a fase aguda e entre 0,6 e 1,0mEq/l na prevenção da doença maníaco-depressiva. Este produto pode ter aumentados os seus efeitos tóxicos com: anti-inflamatórios não esteroides; diuréticos. Pode ter sua ação aumentada por iodetos. Pode diminuir a ação de fenotiazinas (principalmente da clorpromazina); anfetaminas; norepinefrina. pode ter sua ação diminuída por: antidepressivos tricíclicos; ingestão de sal; uréia; xantinas. Evitar ingerir café, chá e outras bebidas que contenham cafeína. Ingerir bastante água (de 1,5 a 3 litros por dia) e não diminuir a ingestão de sal na comida. Pacientes alérgicos à aspirina podem apresentar problemas respiratórios ou sintomas exacerbados de asma. Descontinuar o uso do medicamento se o paciente tiver que se submeter a terapia eletroconvulsiva. Evitar longas exposições ao sol, exercício extenuante, sauna ou banho muito quente.

Efeitos colaterais: A medicação com lítio apresenta ausência de efeitos tóxicos sob ‘condições de controle’. Se por eventualidade quaisquer dos sintomas abaixo ocorrer durante a litioterapia, deve ser interrompida a medicação e informar imediatamente ao médico: diarréia persistente, vômitos ou náuseas severas e persistentes, visão prejudicada, fraqueza generalizada, dificuldade para andar, pulso irregular, tremores intensos, cãibras, grande desconforto, tontura acentuada, sudorese de pés e pernas.

Atenção: O uso de qualquer medicamento só deve ser feito por recomendação e orientação de um médico, essas informações são de caráter meramente educativos e não substituem em hipótese alguma a avaliação de um especialista médico.

Deixe uma resposta