Melanoma Cutâneo – Cid 10: C43

É um tipo de câncer que tem origem nas células da pele, responsáveis pela produção de melanina (substância que dá cor à pele).

Não informado

Todas as pessoas com fatores de risco devem fazer acompanhamento regular com dermatologista. As pintas (sinais) que apresentam qualquer tipo de modificação – ou que estejam coçando – devem ser analisadas com um dermatoscópio – aparelho que faz uma microscopia na superfície da pele e auxilia no diagnóstico do melanoma. As pintas suspeitas serão retiradas cirurgicamente e submetidas ao exame anatomopatológico.

Veja também

O melanoma cutâneo é uma neoplasia silenciosa, portanto não apresentas sintomas. Importante saber que 30% dos casos são provenientes de pintas escuras já existentes e 70 % dos casos são classificados como melanoma “de novo”, ou seja, são pintas pretas que já nascem como melanoma. Por isso, o importante é ficar alerta aos sinais que a neoplasia pode apresentar. Pintas irregulares, assimétricas, com muitas cores e, principalmente, que estejam em crescimento, devem ser analisadas pelo dermatologista. Lembre-se: o melanoma, quando diagnosticado no início, pode ter cura.

O tratamento é sempre cirúrgico. Após estadiamento do caso, inicia-se tratamento complementar que vai desde radioterapia até imunoquimioterapia, de acordo com o grau de invasão do tumor. O prognóstico pode ser bom, se o melanoma for detectado em estádios iniciais.

A melhor forma de prevenir qualquer lesão de pele é seguir algumas das regras abaixo: -. AUTOEXAME DA PELE. É rápido e muito importante para o diagnóstico precoce do câncer de pele: consiste em observar a pele do corpo todo, verificando se há presença de alterações significativas nas pintas ou aparecimento de novos sinais. Com auxílio de um espelho de mão e um espelho grande, percorra desde o couro cabeludo, axilas, dorso do tronco, braços, cotovelos, abdome, região genital, joelhos e pernas, palmas das mãos e plantas dos pés e unhas. 1. Mantenha-se alerta a qualquer mudança e/ ou surgimento de novas pintas escuras. 2. Realize o autoexame a cada 3 meses. 3. Existem 3 tipos de câncer de pele. Atenção para alguns indícios: • Ferida que demora a cicatrizar (mais de 1 mês); • “Casquinhas” persistentes na pele. • Pintas escuras com alteração na regra do ABCD: A = assimetria da lesão; B = borda irregular; C = cores múltiplas; D = diâmetro maior que 6 mm (diâmetro de um lápis). 4. Use regularmente o filtro solar (FPS mínimo 15), mesmo em dias nublados. Reaplique-o a cada 2 horas e após suor intenso ou mergulho. Não se esqueça da proteção labial. 5. Se você tem olhos azuis, sardas, cabelos loiros ou ruivos e fica vermelho facilmente com a exposição ao sol, deve usar filtro solar diariamente. 6. Evite a exposição solar entre 10 e 16 horas. Este é o pior horário da radiação UVB (responsável pela queimadura solar). 7. Complemente a proteção solar com óculos de sol, camiseta de manga longa, chapéu de aba larga e guarda-sol. Prefira sempre a sombra. 8. Não faça bronzeamento artificial em cabines. 9. Ensine a seus filhos o hábito da proteção solar, pois a radiação ultravioleta tem efeitos acumulativos e os danos que levam ao câncer de pele no adulto iniciam-se na infância. 10. Em caso de dúvida, procure um dermatologista.

Deixe uma resposta