em

Mitos e verdades sobre a gravidez

A gravidez é experiência singular, uma fase da vida cercada de grande expectativa e dúvidas. Por esse motivo, a gravidez é cercada de mitos e verdades e buscar informações corretas é um ponto fundamental para segurança da gestante e do bebê.

Veja os principais mitos e verdades sobre a gestação:

  • Apresentar Queimação/Azia na gravidez aumenta as chances de o bebê nascer cabeludo: Este assunto é um mito da gravidez, entretanto, já foi até motivo de estudo científico. O estudo comprovou que a relação é verdadeira, porém ainda precisa ser melhor estudada. Além disso, devemos nos lembrar que o enjôo e azia fazem parte do desequilíbrio corporal da gravidez.
  • Barrigada pontuda indica o sexo do bebê: Totalmente falsa essa afirmativa. A única maneira de saber com certeza o sexo do bebê é através do ultrassom.
  • O sexo durante os dias exatos da ovulação aumentam as chances do sexo ser masculino: Isto é sugestivamente verdadeiro, porque se relaciona com o tipo de espermatozoide: Os que geram bebês do sexo masculino (cromossomo Y) são menos resistente e tendem a não aguentar sobreviver vários dias até a ovulação, ao contrário do cromossomo X (espermatozoide que gera o sexo feminino).
  • A grávida não deve praticar exercícios físicos: Isto não é verdade. A atividade física supervisionada é boa para qualquer ser humano. A mãe deve escolher a prática adequada, sob supervisão.
  • O calor da gestação: O calor excessivo durante a gravidez é normal. Isto decorre do aumento do metabolismo e das alterações hormonais. Isto também irá influenciar o fator emotivo.
  • O jejum reduz os enjôos: Isto é mentira. Na verdade, a grávida nunca deve fazer jejum, e deve se alimentar varias vezes ao dia, em intervalos curtos e com a quantidade adequada – nunca exageradamente. Além disso, soprar a nuca do pai (como algumas mulheres dizem) não diminui o enjôo.
  • Sexo durante a gestação: O sexo deve ser realizado quando existe a vontade do casal. O sexo só deve ser evitado se houver sangramento vaginal, ou se o seu médico indicar que a placenta está inserida baixa. De resto, não há problema. Quanto ao feto sentir ou se machucar, isto é um enorme mito, pois o pênis é inserido no canal vaginal, e o feto está protegido dentro do útero. Opte pelas posições que geram menor desconforto a mulher: Colher (conchinha, de lado),  gestante sentada sobre o parceiro, ou papai e mamãe, com o homem adaptando-se para não comprimir a barriga. Após o nascimento do bebê, deve-se aguardar em torno de seis semanas sem sexo, variando de acordo com o tempo de recuperação materno.
  •  Se o primeiro filho foi de cesariana, os outros não poderão ser de parto normal: Isto dependerá de como foi o primeiro parto. Após uma cesariana, o útero fica com uma cicatriz que pode se romper em um estimulo muito excessivo, como o do parto normal. Isto ocorre em aproximadamente 0,03% dos partos. Entretanto, esta escolha caberá ao médico que irá avaliar a intensidade da contrações, dente outros fatores.
  • Cruzar as pernas pode danificar o cordão umbilical e até enforcar o bebê: Isto é mentira. Os movimentos maternos não influenciam no deslocamento do feto e de suas partes. Isto em geral ocorre se o cordão for pequeno.
  • Comer por dois é obrigatório: Muito cuidado com este mito! Se a mulher comer por dois, acabará ganhando peso acima do que deve e isto poderá desencadear diversas complicações durante a gravidez, com riscos para a vida da mãe e do feto em risco. Siga as orientações da nutricionista do pré-natal.
  • A gravidez pode manchar a pele quando exposta ao sol: Isto pode acontecer devido à maior produção de melanina na pele da gestante. O que a mãe deve atentar é a utilização de protetor solar no rosto e na barriga diariamente.
  • Caso a grávida não coma o que sente desejom o bebê poderá sofre algum dano: Isto é um tremendo mito; na verdade, uma tática da mãe em ser mimada. Trata-se de uma superstição que deve ser seguida ou não de acordo com a vontade do casal.
  • Beber cerveja preta aumenta a produção de leite: Este é um mito sem nenhuma comprovação cientifica. O álcool é prejudicial ao bebê e deve ser evitado antes, durante e após a gestação. Alguns alimentos podem, eventualmente, modificar o sabor do leite.
  • A mãe deve frequentar sauna ou banheiras com água quente por tempo prolongado: Trata-se de um mito. Este calor, na verdade, pode gerar até uma queda abrupta e perigosa da pressão.
  • Inchaço (edema) nas pernas significa pressão alta (hipertensão): Isto é uma verdade parcial. Apesar de o edema ser bastante comum na gravidez, mulheres com hipertensão arterial tendem a apresenta-lo de maneira mais intensa. Acompanhe a sua pressão arterial e utilize meias elásticas durante a gestação.
  • É proibido utilizar tintura de cabelo: Mito. O ideal é não utilizar nenhum produto químico que possa ser absorvido pelo seu corpo durante a gravidez. Caso decida utilizar, prefira começar a usá-lo a partir do segundo trimestre de gravidez e escolha tintas/tonalizantes sem chumbo na fórmula.
  • Canela e café fazem mal ao bebê: Não existe evidencia cientifica a respeito. Porém, elementos que possuam cafeína devem ser consumidos com moderação. A alimentação balanceada e saudável é a melhor escolha para a mãe e o bebê.
  • Uso de medicações afetam o meu bebê: Verdade parcial. Qualquer produto químico, não orgânico, que entre em contato com o feto pode ter potencial efeito negativo para o seu desenvolvimento. Você deve sempre consultar o seu médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Urologia

Farinha de Arroz e Seus Benefícios Surpreendentes para a Pele