Prolapso da Válvula Mitral – Cid 10: I34.1

O prolapso da válvula mitral é um problema cardíaco no qual a válvula que separa as câmaras superior e inferior do lado esquerdo do coração não fecha apropriadamente.

Não transmissível

Os seguintes testes podem ser usados para diagnosticar prolapso da válvula mitral ou uma válvula mitral com vazamento: -Ecocardiograma -Exame com Doppler de fluxo a cores -Cateterização cardíaca -Radiografia torácica -ECG (pode apresentar arritmias como fibrilação atrial) -Ressonância magnética do tórax -Tomografia computadorizada torácica

Muitos pacientes são totalmente assintomáticos do prolapso da válvula mitral enquanto outros podem apresentar inúmeros sintomas. As queixas mais comuns são as palpitações e a síncope (devidas a distúrbios do ritmo cardíaco), dor de cabeça (cefaléia), dor torácica, falta de ar e fadiga, sendo esta última a mais comum. Os portadores de PVM podem concomitantemente apresentar disfunção do sistema nervoso autônomo e o quadro pode se associar ao Transtorno do Pânico, à Ansiedade e à Depressão. A dor torácica é diferente da apresentada em outra doença coronariana, pois raramente ocorre durante ou após o exercício e não responde ao uso de nitratos.

O grupo funcional apresenta evolução, em geral, sem complicações e os sintomas são tratados com medicamentos. – Betabloqueadores: bastante utilizados nos portadores de PVM que apresentam taquiarritmias (aceleração dos batimentos cardíacos fora do ritmo normal) e ansiedade, por inibirem a liberação de substâncias químicas que produzem a aceleração do coração e arritmias, presentes em um número expressivo de pacientes com prolapso da valva mitral. – Antagonistas do cálcio e ansiolíticos: são também alternativas no tratamento sintomático. Como mencionado anteriormente, nas formas anatômicas que evoluíram para uma manifestação grave de insuficiência mitral e insuficiência cardíaca, a principal opção será a cirurgia (reconstrução valvar ou sua substituição).

Você geralmente não pode prevenir o prolapso da válvula mitral, mas pode evitar determinadas complicações. Avise seus médicos, inclusive seu dentista, se você tiver um histórico de doença cardíaca ou problemas na válvula cardíaca.

Veja Também:

Deixe uma resposta