em

Síndrome do Túnel do Carpo – Cid 10: G56.0

Você acorda com a mão formigando no meio da noite? Tem a sensação de dormência na ponta dos dedos? Sente uma dor que sobe pelo braço? Chega a deixar os objetos caírem de sua mão? Se responder afirmativo a qualquer das questões acima, você pode estar com a Síndrome do Túnel do Carpo, que é causada pela compressão de um nervo da região do punho. A Síndrome do Túnel do Carpo ocorre quando o nervo mediano é comprimido dentro do túnel, e isto pode ocorrer em qualquer situação que diminua o tamanho do túnel ou aumente o volume dos tecidos que passam no seu interior. Quando ficamos muito tempo com o punho dobrado diminuímos o espaço para o nervo como, por exemplo, nas seguintes situações: segurar o jornal durante a leitura, dirigir e dormir com o punho fletido.

Não é transmissível

O diagnóstico e o tratamento precoces são importantes para evitar lesão permanente do nervo e conseqüente anestesia e atrofia da mão, fato que pode tornar a pessoa acometida dependente dos outros. É necessária avaliação médica para descartar outros problemas que podem simular estes sintomas, assim como a compressão do nervo em outros locais desde a sua saída do pescoço (causando hérnia de disco) e na passagem pelo ombro e cotovelo.

O paciente pode sentir dor, sensação de formigamento, de choque, de peso ou de cansaço do antebraço, falta de sensibilidade nos dedos inervados pelo nervo mediano e, em casos mais graves, atrofia da musculatura, acarretando fraqueza e queda dos objetos da mão. Em aproximadamente 50% dos casos pode acometer os dois lados.

O tratamento varia desde o uso de medicamentos à imobilização temporária do punho com talas, associado à fisioterapia para correção postural e alongamento muscular. Em casos resistentes a essas medidas é necessário tratamento cirúrgico para evitar a progressão da doença. A cirurgia consiste em “abrir” o teto do túnel, libertando o nervo comprimido. Isto pode ser realizado através de uma mini-incisão na palma da mão.

Para a prevenção da síndrome do túnel do carpo não há medidas concretas, mas podem-se tomar algumas medidas para tal: · Não realizar atividades repetitivas de flexão com o punho; · Evitar algumas posições de trabalho com o punho que não são corretas; · Uso de equipamentos de trabalho ajustados para os requerimentos físicos da pessoa; · Ergonomia correta com pés paralelos ao chão, joelhos flexionados a 90 graus, cadeira confortável, costas bem apoiadas no encosto, braços na mesma altura do teclado e tela do computador a uma distância de 40 a 60 centímetros da visão; · Realização de pequenos intervalos durante o dia de trabalho e de alongamento dos ombros, costas, punhos e mãos.

alguém opinou!

Deixe sua opinião!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Psitacose – CID 10: A70

TCE – Traumatismo Crânio Encefálico – CID 10: S04.9